“Lei do Farol” – Queda no número de acidentes pode estar relacionada à nova Lei

A Lei que entrou em vigor no dia 8 de julho do ano passado, determinava o uso do farol baixo em todas as rodovias, mesmo durante o dia. A mesma Lei foi suspensa em Setembro do mesmo ano, sob o argumento de que, havia confusão entre os motoristas entre rodovias com ruas e avenidas que compõe a malha urbana.

 

Em Outubro de 2016 a Lei 13.290 voltou a valer, e nos meses de férias, onde as estradas recebem mais carros, já é possível identificar queda no número de colisões frontais e atropelamentos.

 

O assessor de comunicação social da Policia Rodoviária Federal (PRF) Diego Fernandes Brandão, explica a importância da nova lei tanto para o motorista quanto para os pedestres:

“O uso do farol baixo não é apenas para garantir que o motorista veja o que está à sua frente, mas também, para que seja visto por outros motoristas e pedestres”, disse Brandão.

 

Segundo estatísticas divulgadas pela Polícia Rodoviária Federal, no ano de 2015, (entre 23 de Dezembro a 06 de Janeiro de 2016), foram registrados 108 atropelamentos, sendo 34 fatais e 43 gravemente feridos. Já no período entre 23 de Dezembro de 2016 a 06 de Janeiro de 2017, o índice caiu para 80 atropelamentos – 34 fatais e 32 gravemente feridos. Houve uma queda de 26% em relação ao ano anterior.

 

No caso das colisões frontais, a queda no índice divulgado pela PRF causou ainda mais espanto: 43% (de 282 para 160 ocorrências), 42% (127 para 74 no número de mortos) e 52% (239 para 114 na quantidade de feridos com gravidade).

 

Embora seja uma notícia um tanto positiva, especialistas preferem cautela antes de comemorar os resultados. Existem fatores que podem contribuir para a redução do número de acidentes nas estradas. Incidência de chuvas, feriados que caem no Domingo e outros fatores, podem contribuir para variação negativa no índice de ocorrências.

 

O professor de engenharia de tráfego da Unicamp prefere esperar os efeitos positivos, inclusive com mais campanhas educativas para os motoristas:

“Certamente existe um efeito positivo. O farol baixo de dia não é para ver, é para ser visto. E é bastante fácil de notar que você enxerga melhor carros no sentido contrário”, disse Bisca. “Mesmo a pessoa estando completamente consciente da lei, às vezes pode esquecer e, por isso, acho que uma campanha maior seria necessária, assim como uma notificação na casa do condutor e uma tolerância maior antes da primeira multa.

 

No período entre 23 de Dezembro de 2016 a 06 de Janeiro de 2017, 41.719 foram multados por “trafegar durante o dia com a luz baixa apagada nas rodovias”.

 

Em estradas rurais e trechos urbanos devidamente sinalizados, as multas podem ser aplicadas sempre que houver sinalização clara sobre o assunto. O descumprimento é considerado infração média com 4 pontos na carteira de Habilitação e multa no valor de R$130,16.

 

Fonte