933 obras de infraestrutura turística são entregues em 2017

relacionados a infraestrutura turística em diversas regiões do país. Os valores repassados pelo Ministério alcançaram os R$ 506 milhões, e mais R$ 68 milhões aos estados e municípios. Entre os projetos estão os de sinalização turística e obras de pavimentação, pontes, urbanização de rodovias de orlas e balneários, e outros diversos.

Dos projetos entregues este ano estão inclusos os pavilhões de feiras e praças de eventos que incentivam o turismo doméstico, tais como terminais turísticos e Centros de Apoio ao Turista.

Entre as obras em destaque estão as de pavimentação de via de acesso a destinos turísticos que custaram R$ 98 milhões, a sinalização turística R$ 10 milhões e também as reformas e aquisição de equipamentos para centros de convenções do país todo com um custo de R$ 70 milhões. Os centros de convenções foram ressaltados como fundamentais no estímulo ao turismo de negócios no Brasil inteiro.

O ministro do Turismo, Marx Beltrão, destaca as obras como fundamentais no desenvolvimento regional. “Por meio do turismo, vem a geração de emprego e renda para a população. A desenvolvimento das obras na parte turística também significa mais qualidade na experiência do turismo e, como resultado, uma maior atração de visitantes para os destinos, gerando o aparecimento de novos empreendimentos como hospedagem, alimentação e lazer, movimentando a economia local”.

Os Municípios com Mapa do Turismo no Brasil, tem preferência para obras realizadas. O programa disponibiliza uma ferramenta que funciona como um instrumento de transparência que tem reconhecimento do Tribunal de Contas da União para que os recursos públicos sejam melhores aplicados como estratégia de investimento no turismo e alternativa de retorno para a economia. Os recursos vêm da Pasta e de emendas parlamentares apresentadas pelo ministério.

O Centro de Convenções de João Pessoa em 2017, foi a obra com maior custo chegando a R$ 50 milhões dos R$ 84 milhões investidos nas obras finalizadas no ano na Paraíba. Na sequência vem a primeira etapa do Centro de Convenções de Manaus que recebeu R$ 14 milhões dos R$ 15 milhões investidos pelo estado do Amazonas para as obras entregues em 2017.

 

Michel Terpins e Beco Andreotti vencem o campeonato brasileiro de rally

Vencer no primeiro dia foi fundamental para que a dupla Michel Terpins (piloto e Beco Andreotti (navegador) conquistassem o título no Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country com antecedência. A dupla da equipe Bull Sertões Rally Team se sagrou campeã no Rally Rota Sudeste antes da última prova do ano mesmo apresentando problemas no carro. Acompanhe!

Michel Terpins e Beco Andreotti já haviam vencido o primeiro dia de provas na geral no dia 11 de novembro (sábado) e no domingo chegaram a largar na frente, abrindo a trilha do segundo dia de provas do rally. Contudo, na altura do km 70 o carro que pilotavam, o T-Rex apresentou problemas no câmbio e eles não tiveram condições de continuar na prova.

Mesmo sem sequer completar a prova, a dupla sai de Lençóis Paulista com o título brasileiro de Rally Cross Country por antecipação, na categoria Protótipos T1. De acordo com Michel Terpins a etapa foi bacana, no que ele classificou de “um bom rally”, com um percurso que o agradou muito, apesar do problema apresentado. Ele ressaltou que o câmbio só “entregava” a primeira marcha, o que não deu escolha aos dois que tiveram que abandonar a prova.

“Em 2015 e 2016 fui vice-campeão brasileiro na Protótipos T1 e vinha perseguindo este título, desde então, disse Terpins. Ele enfatizou estar muito feliz, principalmente pelos cálculos que mostraram que tem 21 pontos de vantagem em relação ao segundo colocado, não podendo mais ser alcançado.

2017 foi um ano para o piloto comemorar, já que foi campeão do Rally dos Sertões, principal competição cross country do país e campeão brasileiro na categoria. “É o ponto alto da minha trajetória no ralis e isto não tem preço”, acrescenta Terpins, que pela primeira vez conquista os dois títulos. No Rally dos Sertões seu navegador foi Maykel Justo, pela segunda vez.

Já Beco sagrou-se bicampeão na geral do Rally dos Sertões e conquista pela segunda vez o Capacete de Ouro ao lado Cristian Baumgart (piloto). Agora segue navegando para Terpins durante as competições do Campeonato Brasileiro. A dupla se encontra de novo para competir no Rally dos Amigos, realizado em Avaré, interior de São Paulo.

O Rally Rota Sudeste

O Rally Rota Sudeste aconteceu nos dias 11 e 12 de novembro de na cidade de Lençóis Paulista. A penúltima da temporada permitiu que os participantes somassem pontos para as 11ª e 12ª etapas do campeonato nacional.

O Rally Rota Sudeste contou com 430 quilômetros, sendo 328 deles de trechos cronometrados.

André Miranda e Alison Pedroso foram os campeões na classificação geral competindo pela categoria Pró – Brasil. Na segunda posição ficaram Fábio Ruediger e Eduardo Bampi, na categoria Protótipos T1 e foram os vice-campeões na geral.

Para conferir os resultados e a classificação acesse o site www.chronosat.com.br.

Sobre Michel Terpins

Michel, juntamente com o irmão Rodrigo Terpins (também piloto), se apaixonaram pela velocidade e as competições cross country, fazendo com que formassem a equipe Bull Sertões Rally Team. Os dois competem há quatro temporadas com T-Rex, veículo desenvolvido pela MEM Motorsport.

O primeiro título de Michel Terpins no Rally dos Sertões veio neste ano de 2017, na 25ª edição da principal prova off-road do país. O piloto competiu na Protótipos T1, trazendo título inédito para a equipe.

Ranking dos artistas mais ouvidos no Spotify de 2017 é liderado por Ed Sheeran

O ranking dos artistas mais ouvidos em 2017 no Spotify foi liderado pelo cantor Ed Sheeran, em um nível mundial. Segundo o serviço de streaming de músicas, o cantor foi a grande preferência de seus usuários neste ano, que somaram um total de 6,3 bilhões de reproduções. Além de fechar o ano como o mais ouvido do Spotify, Ed Sheeran também teve seu lançamento “Shape of You” e o álbum “Divide” como os mais ouvidos do streaming em todo o mundo.

Aqui no Brasil, o ranking foi liderado pela dupla Matheus e Kauan, que juntos foram a maior preferência dos usuários brasileiros. Já entre os gêneros, a plataforma de streaming revelou que a música latina e o hip hop foram os que mais predominaram nesses últimos 12 meses nas playlists de seus usuários.

Dentre os artistas internacionais, o idioma predominante foi o inglês. Na lista dos cinco artistas mais ouvidos, o segundo lugar também se destacou por ter o rapper canadense Drake atrás de Ed Sheeran. Na lista de 2015 e de 2016, o rapper consagrou o primeiro lugar como o mais ouvido no mundo. Os cinco mais ouvidos no mundo através da plataforma Spotify são: Ed Sheeran, Drake, The Weeknd, Kendrick Lamar e Chainsmokers.

Já as músicas mais ouvidas pelos usuários do mundo inteiro na plataforma neste ano foram: “Shape of you”, de Ed Sheeran; “Despacito – Remix”, de Luis Fonsi, Daddy Yankee com Justin Bieber; “Despacito”, de Luis Fonsi e Daddy Yankee; “Something Just Like This”, de Chainsmokers com Coldplay; e “I’m the one”, de DJ Khalid.

Os cinco artistas brasileiros mais ouvidos pelos usuários do Spotify neste ano foram: Matheus e Kauan; Jorge e Mateus; Henrique e Juliano; Marília Mendonça; e Wesley Safadão. E as músicas mais ouvidas na plataforma pelos usuários brasileiros neste ano foram: “Shape of you”, de Ed Sheeran; “Hear me Now”, de Alok; “Vidinha de Balada (Ao Vivo)”, de Henrique e Juliano; “Te assumi pro Brasil (Ao Vivo)”, de Matheus e Kauan; e “Sua Cara (feat Anitta e Pabllo Vitar)”, de Major Lazer.

Dentre os rankings globais, nenhuma mulher apareceu em primeiro lugar como artista mais ouvida na plataforma de streaming de música neste ano. Contudo, em relação as artistas do mundo inteiro, a Rihanna apareceu como a mais ouvida no Spotify.

 

Nova espécie de pássaros em evolução é identificada por cientistas

Pela primeira vez os pesquisadores conseguiram acompanhar o crescimento de uma população de pássaros que foram descobertos no Arquipélago de Galápagos, no Oceano Pacífico. Por mais de 40 anos os pássaros tentilhões, uma ave típica da região, vem sendo observados e acompanhados no processo de geração de uma espécie nova.

As aves conhecidas como tentilhões de Darwin, ajudaram Charles Darwin, naturalista inglês, no desenvolvimento da teoria da seleção natural, que foi apresentada em 1859 na obra A Origem das Espécies.

Cientistas da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, e da Universidade de Uppsala na Suécia, foram responsáveis pela condução da pesquisa que foi publicada pela revista Science.

A chegada de um macho que pertencia a uma espécie nativa na ilha foi observada pelos pesquisadores em 1981, eles eram maiores que os pássaros da região. A ave reproduziu com uma fêmea de espécie local de porte médio e assim deu início a uma nova linhagem fértil da espécie, observadas pelos professores da Universidade de Princeton, Rosemary e Peter Grant.

Após quatro décadas, a prole do acasalamento ainda vem sendo observada e agora chega a aproximadamente trinta pássaros.

A nova espécie de pássaros possui hábitos diferentes das aves nativas, e eles não acasalam com indivíduos de populações diferentes da deles. Antigamente se acreditava que duas espécies diferentes não conseguiriam se produzir descendentes férteis, porém nos últimos anos foi descoberto que as aves e outros animais que são considerados de espécie única podem se acasalar com outros produzindo assim uma linhagem fértil.

Os cientistas querem descobrir o papel de hibridização no processo de criação de espécies novas, que faz com que a observação dos tentilhões das Galápagos seja de extrema importância. Para eles o macho original da espécie voou 65 mil milhas da ilha na Espanha, onde é seu habitat até Daphne Major, uma distância consideravelmente longa para um pássaro, o que provavelmente impediu o retorno para sua casa.

Na maioria dos casos as espécies cruzadas têm uma má adaptação do ambiente, porém no caso dos novos tentilhões de Daphne Major, eles são maiores que as espécies locais e acabaram por descobrir alimentos novos e inexploráveis. Os pesquisadores deram a nova espécie o nome de Big Bird, que significa pássaro grande.

 

Uma máquina que absorve CO2 do ar foi criada na Suíça e o gás depois de transformado está sendo comercializado

Várias negociações sobre como executar as mudanças propostas no Acordo de Paris, foram discutidas na Conferência da ONU sobre o clima, que aconteceu na cidade alemã de Bonn. Os países participantes promovem iniciativas para diminuir a quantidade de CO2 encontrada na atmosfera, e com isso conter o aquecimento do planeta.

Apesar do CO2 constituir somente 0,04% da atmosfera global,  o índice de concentração atual  é o maior encontrado em 800 mil anos.

Conseguir retirar o gás carbônico da atmosfera é um projeto complicado e caro. Mas uma iniciativa para mudar isso está acontecendo na Suíça, onde foi criada uma máquina que tem como objetivo, extrair CO2 da atmosfera e transformá-lo em algo rentável.

Em Hinwil, uma cidade que fica perto de Zurique, um centro de reciclagem possui dezoito ventiladores que estão empilhados entre si, apresentando tamanhos parecidos com o de uma máquina de lavar. Esses aparelhos retiram o ar encontrado em volta, e apresentam filtros com elementos químicos dentro dele que extraem o gás carbônico do ar. Esses filtros são retirados quando ficam cheios e colocados em uma temperatura de 100º C, utilizando o calor produzido pelo próprio centro de reciclagem. Todo esse procedimento se reverte em um CO2 puro, que vai ser comercializado depois.

Esse sistema que extrai CO2 do ar foi criado pela empresa Climeworks da Suíça, e consegue absorver do ar cerca de 900 toneladas de CO2 anualmente. Esse gás acaba sendo comercializado com uma estufa que está localizada em uma região próxima da usina, sendo que esse gás carbônico puro é utilizado para incentivar o crescimento de vegetais.

Na opinião dos inventores da máquina, essa não é somente uma inovação brilhante, mas ela representa também um tipo de negócio lucrativo.

Jan Wurzbacher, um dos sócios da empresa, declarou que é a primeira vez que o gás carbônico é comercializado. Ele acredita que para incentivar a absorção de CO2 da atmosfera, é necessário que isso represente um comércio rentável.

A empresa Climeworks comercializa o CO2 com produtores de legumes e verduras da região, por cerca de US$ 600 a tonelada ou em reais o equivalente a R$ 1.970.

A empresa explica, que o valor alto é porque ela precisa produzir todos os componentes da máquina a partir do zero. Mas ela também acha que os valores do gás irão diminuir em pouco tempo, já que a tendência é de que haja um aumento da produção de gás e da procura pelo produto.

 

Rússia declara que Putin e Trump têm muito o que conversar

A sede do governo da Rússia, o Kremlin, declarou recentemente que Vladimir Putin, o presidente russo, e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, terão uma longa conversa durante o Fórum de Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico (Apec), que acontecerá no Vietnã em novembro.

O Kremlin e a Casa Branca já declararam que a reunião entre os dois chefes de Estado deverá acontecer a sós. Durante a realização da Apec, os dois também são esperados em outras reuniões com os líderes dos principais países asiáticos.

Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin, ressaltou que existem muitos assuntos para serem tratados entre os dois presidentes. Ele destacou que uma longa conversa entre ambas as partes seria algo benéfico para os interesses tanto da Rússia, como também dos Estados Unidos.

O porta-voz adiantou que o conflito na Síria é um dos temas que precisam ser debatidos, tendo em vista que a solução para essa questão requer esforços dos dois lados.

Em entrevista recente concedida à rede de televisão norte-americana “Fox News”, o presidente Donald Trump destacou que o presidente Vladimir Putin é importante para os interesses dos Estados Unidos, e que o líder russo tem o poder de auxiliar  na questão que envolve a Coreia do Norte.

Donald Trump ainda disse na entrevista que, entre as questões que planeja tratar com Vladimir Putin, estava a questão da Ucrânia. Há alguns anos, a Rússia anexou a região da Crimeia, que até então pertencia ao estado ucraniano, e recebeu duras críticas e sanções internacionais por conta disso.

As relações diplomáticas entre os governos russo e norte-americano passam por um dos seus piores momentos desde o ano de 1991, com a queda da União Soviética, apesar de existir uma simpatia pessoal já conhecida entre Trump e Putin.

A razão disso está no fato de que diversos organismos e instituições dos Estados Unidos, incluindo o serviço de segurança e o Senado do país, estão investigando atualmente uma possível influência e intervenção russa durante as eleições dos Estados Unidos de 2016. Também existem indícios de que haviam vínculos entre pessoas ligadas a campanha de Trump e o Kremlin.

 

Homens e mulheres se comportam igual no trabalho, revela estudo de Harvard

Embora a desigualdade de gênero ainda seja notada na diferença salarial entre homens e mulheres do mundo todo, um estudo feito nos Estados Unidos mostrou que homens e mulheres se comportam da mesma forma no trabalho. A revelação elimina toda aquela velha história de que os homens trabalham mais que as mulheres, mesmo eles ocupando cargos iguais. Contudo, a Harvard Business Review destaca que essa desigualdade de gênero não deveria existir, pois os dois gêneros conseguem produzir em escalas iguais no ambiente de trabalho.

O estudo realizado pela escola de Harvard contou com sensores que foram anexados em 100 pessoas que se voluntariaram para a pesquisa. Através dos sensores, os pesquisadores puderam rastrear todos os hábitos que cada uma das pessoas tinha no ambiente de trabalho. Sendo assim, eles puderam analisar se homens e mulheres trabalham de forma diferente quando ocupam o mesmo cargo.

Dentre os hábitos avaliados, os pesquisadores analisaram o volume da fala, os movimentos, a produtividade do dia, a aproximação entre a equipe de trabalho, entre outros fatores determinantes entre cada um dos indivíduos. Nessa análise, os pesquisadores tentaram responder questões comuns que ainda perpetuam pela sociedade, como qual dos dois gêneros conversa mais no trabalho, qual deles passa mais tempo ocioso, e se os dois gêneros são muito diferentes no trabalho. Essas questões poderiam explicar porque a diferença salarial é tão comum entre todas as sociedades, mas o resultado apontou que essa desigualdade de gênero não pode ser explicada por comportamento diferente no ambiente de trabalho.

Os pesquisadores de Harvard apontaram que não há nenhuma evidência que comprove que os dois gêneros atuam de forma diferente no ambiente de trabalho. O estudo aponta para uma “igualdade quase surpreendente”. Também foi destacado que ambos os gêneros têm hábitos de trabalho muito semelhantes, como a interação entre colegas, a liderança no trabalho, entre outras coisas.

O estudo feito por Harvard tem o objetivo de discutir sobre a desigualdade de gênero como um problema da sociedade, ao contrário do que muitas pessoas usam como desculpa para justificar os salários menores das mulheres.

 

Um site reposta 6 coisas que fazem mal tanto quanto o cigarro

Saúde começou a obrigar a todos os fabricantes incluírem imagens das mazelas que o consumo desse produto acarreta. E já faz muito tempo que não pode ser mais veiculado comerciais televisivos de cigarro, e isso tudo não é à toa. O cigarro é o maior responsável pela grande ocorrência de câncer de pulmão.

No entanto, muita gente não reconhece como outros hábitos podem se tornar tão nocivos quanto o tabagismo, e foi pensando nisso que o site Norte Americano, Bussines Insider reportou 6 exemplos que estão bem presentes no dia a dia das pessoas.

Viver sozinho

Pesquisadores dos Estados Unidos realizaram uma pesquisa onde eles avaliaram informações sobre estilo de vida das pessoas de mais de 3 milhões de pessoas. Um dos resultados que eles obtiveram foi que o estilo de viver eremita, aquele que a pessoa se isola do convívio com outras pessoas, tem uma expectativa de vida 32% mais baixo das demais pessoas.

Sedentarismo

Caracteriza-se com uma vida sedentária, um estilo de vida com ausência ou baixa quantidade de atividades físicas. Isso já é considerado o mal do século, ainda mais em profissões onde a pessoa passa o dia sentado.

Maus hábitos alimentares

Com a vida profissional cada vez mais exigente, pessoas voltam para a casa estando cansadas e acabam dispensando uma boa comida por algo rápido e pouco nutritivo.

Dietas com muitas gorduras e açucares podem desbalancear o organismo e causar doenças sérias. Então pessoas que levam esse estilo de vida estão arriscando a saúde tanto quanto um fumante inveterado.

Sono irregular

Ter o hábito de dormir pouco ou o de dormir muito pode ser muito prejudicial à saúde. A Organização Mundial da Saúde já reportou há alguns anos noticiou que dormir pouco aumenta consideravelmente o risco de doenças cardiovasculares, num patamar similar a de um fumante.

Bronzeamento artificial

Um estudo realizado em 2014 noticiou que o bronzemanento artificial tem sido responsável por milhares de casos de câncer de pele, assim com o cigarro é responsável pela grande incidência de câncer de pulmão.

Narguilé

Vários estudos já provaram que uma sessão de Narguilé é equivalente a fumar 100 cigarros.