Compostos químicos causam distúrbios hormonais e diversas outras doenças, inclusive o câncer

Com a industrialização de muitos alimentos e o consumismo desenfreado, muitas doenças pegaram carona e se instalaram no organismo humano. Muitas delas nem mesmo existiam, e só passaram a existir depois do consumo de certos aditivos químicos. No geral, esses vilões são muito silenciosos e estão presentes nos mais variados produtos que compramos, dentre eles os cosméticos, alimentos industrializados, e até mesmo os brinquedos das crianças.

Esses compostos químicos são responsáveis por diversos distúrbios hormonais, e segundo a OMS – Organização Mundial da Saúde, existem ao todo 800 tipos de composto químicos que estão na lista negra por serem prejudiciais a saúde humana. A maioria das substâncias ainda está em análise pelos cientistas, no entanto, já há indícios revelados em cerca de 66 dos compostos, apontando sua ligação com a alteração na atividade endócrina. Dentre eles, o bisfenol A (BPA), a dioxina, a atrazina e outros vários tipos de ftalatos (BBP, DEHP, DOP e DBP).

A OMS divulgou os dados para que esses compostos sejam retirados e os alimentos sejam regulamentados sob uma nova avaliação. Isso porque o número de casos de doenças relacionadas a distúrbios hormonais só tem aumentado, além dos constantes resultados de diversas pesquisas onde é avaliada a saúde de animais que entram em contato com os compostos.

Os cientistas já sabem que alguns dos compostos químicos de fato são prejudiciais, no entanto, esses produtos ainda continuam a ser comercializados em massa. O ftalatos, por exemplo, é encontrado em diversos produtos plásticos ou produtos que tenham contato com plástico, como, brinquedos, alimentos embalados com plástico, produtos de limpeza, produtos de beleza, sabonetes, perfumes, e diversos outros produtos que tem fragrância.

Já o outro maléfico, o bisfenol A (BPA), é facilmente encontrado nas garrafas de plástico, nos cosméticos, em CDs, nos brinquedos das crianças e até mesmo nas mamadeiras do bebê. Dentre os compostos, alguns deles como o ftalato DBP acabou perdendo utilidade para a industria, que antes o usava como uma forma de plastificar impressões nas unhas, porém, sua toxidade é tão forte que mesmo não sendo mais comercializado, o composto ainda será passado em diversas gerações pelos que usaram produtos com o derivado.

O fato é que esses compostos devem ser vistos como um vírus de alta periculosidade, já que seus efeitos muitas vezes podem ser irreversíveis. Ainda mais quando se trata de uma exposição muito precoce a esses contaminantes. Existem períodos da vida que são extremamente delicados e que se tiverem contato com esses compostos poderá interferir totalmente nos hormônios do individuo, sendo eles, o primeiro momento da vida que seria ainda dentro do útero e quando a pessoa atinge a puberdade. Esses são os momentos mais definitivos para evitar a exposição a qualquer um desses compostos químicos para não trazer nenhum distúrbio hormonal.

 

Veja também, 12 substâncias químicas prejudiciais ao corpo humano.