Elefantes ficam presos em lago de lama no Camboja

 

Resultado de imagem para Elefantes ficam presos em lago de lama no Camboja

Um lago formado após uma explosão no Camboja, acabou se tornando uma armadilha mortal para diversos elefantes. Ao todo foram onze elefantes asiáticos que ficaram presos no primeiro final de semana do mês de abril. O acidente aconteceu quando os animais seguiam para o leste do país, na província de Mondulkiri, em direção ao reservatório de água no “Santuário Keo Seima da Vida Selvagem”.

A bomba que originou o lago de lama explodiu durante a Guerra do Vietnã (1955-1975), no entanto, o buraco foi alargado pelos fazendeiros que moravam ali perto para poder armazenar água. Com a pouca chuva, o lago virou uma gigante poça de lama, que fez com que os animais atolassem dentro dele. Os elefantes foram vistos atolados pelos próprios agricultores e moradores da região. A primeira ação deles foi chamar as autoridades do local, a ONG responsável por preservar a vida selvagem em todo o mundo, “Wildlife Conservation Society (WCS)”. É a ONG que cuida dos elefantes da cidade de Mondulkiri, “Elephant Livelihood Initiative Envionment (ELIE)”.

O técnico da WCS, Tan Setha, alegou em comunicado: “Se a comunidade não tivesse se reunido com a WCS, a ELIE e o Departamento de Meio Ambiente para resgatar esses elefantes, isso teria sido uma tragédia”, segundo ele, os animais teriam morrido em pouco tempo. Setha ainda explicou: “Esse rebanho consistia de três fêmeas adultas e oito jovens de várias idades, incluindo um macho que tinha quase atingido a maturidade. Estes elefantes representam uma parte importante da população reprodutora do santuário e sua perda teria sido um grande golpe para a conservação.”

Os órgãos responsáveis pela preservação desses animais e a comunidade local, irrigaram boa parte da lama para facilitar a saída dos elefantes. Feito isso, a maioria deles conseguiram sair sozinhos de dentro do lago, somente um elefante acabou ficando dentro la dentro. Ele foi retirado com a ajuda dos voluntários através de cordas amarradas em torno do animal. No final tudo acabou bem, o resgate foi bem-sucedido e os animais puderam se alimentar após sair do lado.

O diretor da WCS, Ros Sinclair, afirmou em comunicado: “Este é um grande exemplo de todos trabalhando juntos no Camboja para salvar a vida selvagem”, Ross Sinclair ainda revelou: “Muitas vezes as histórias em torno da conservação são sobre conflito e fracasso, mas este é um sobre cooperação e sucesso. Que o último elefante a ser resgatado precisava que todos o puxassem juntos. É simbólico e representa como temos de trabalhar em conjunto para a preservação”.

O Camboja mantém o santuário Keo Seima como um dos principais habitats de diversos animais, dentre eles os elefantes, tigres e primatas. O santuário é muito importante para a preservação da vida selvagem de diversas espécies.