Empreendedor doa próteses construída em impressora 3D

30162602939466

Próteses construídas por impressoras 3D já são uma realidade e custam muito menos que as tradicionais.

O engenheiro Mecatrônico, Thiago Jucá, produz próteses de plásticos e cobra por elas de R$800 a R$1500 reais. Valor muito distante dos R$350 mil praticados pelo mercado de próteses normal.

Thiago começou em outubro de 2016, inspirado pelo seu primeiro serviço, que foi uma doação para uma criança que não tinha como arcar com os custos.

Um menino de 13 anos, chamado Vanclever Machado, de Sete Lagoas (Minas gerais), em razão de uma má formação congênita, ele não possui o braço direito. Todo o trabalho de construção foi feito a distancia por meio de fotos.

“Os pais tiraram as medidas do braço que ele ainda tem, mas vieram as medidas erradas. Então pedi fotografias e consegui fazer a prótese.” – explicou Thiago Jucá.

A prótese do adolescente é especial. Isso porque foi inspirado no braço do Homem de Ferro. A mãe do menino, costureira, disse que não tinha condições financeiras para arcar com esse gasto.

“A gente nunca tinha conseguido a próteses por falta de recursos financeiros. Depois que ele ganhou a prótese percebemos o quanto ele tinha dificuldade em algumas coisas e tudo ficou mais simples.”

Vanclever se emocionou, “A gente nunca tinha conseguido a próteses por falta de recursos financeiros. Depois que ele ganhou a prótese percebemos o quanto ele tinha dificuldade em algumas coisas e tudo ficou mais simples.”.

Pediu uma mão ao Papai Noel e ganhou uma prótese da Barbie

Isabelly Francini da Silva Teixeira, de Vitória,de 7 anos, sofreu um acidente sem setembro do ano passado ao brincar com fogos de artificio e perdeu a mão.

No natal de 2016, a menina escreveu uma carta ao Papai Noel pedindo a sua mão de volta. Os Correios, numa tradicional ação do final do ano, tentou atender ao pedido da criança e encaminhou o pedido ao Thiago Jucá.

O engenheiro não apenas desenvolveu a prótese, como se vestiu de Papai Noel e foi até a escola da Isabelly entrega-la. Para sua surpresa tinha o tema da Barbie. Todo o processo de trabalho, assim como na situação anterior, foi feito a distância.

Fabiana da Conceição Silva, mãe da Isabelly, disse que a menina não saia mais de casa com vergonha, e agora esta muito feliz.

Thiago Jucá disse que já fabricou mais de 300 próteses, e seu objetivo atual e produzir 50 peças por mês. Para isso ele procura parceiros.

Sobre obter retorno financeiro, o engenheiro informou que a startup ainda está começando. As primeiras vendas devem começar no mês atual. A expectativa é que o faturamento chegue a R$ 450 mil para os próximos meses.