Estudo revela que ouvir música clássica estimula a criatividade

Um estudo realizado na Holanda revela que os pensamentos criativos sofrem uma grande influência quando estão impulsionados por músicas de aspecto erudito.

Para pessoas no mundo da arte, como pintores, desenhistas, escritores e até mesmo os próprios músicos, o estímulo musical para cada um trabalhar com seu projeto é definitivamente viável. Um estudo realizado pela Universidade Radboud, localizada na Holanda, contou com a presença de 155 indivíduos adultos em média com 20 anos de idade. O estudo propôs que esses 155 indivíduos resolvessem problemas de lógica e de soluções criativas, ouvindo música clássica, alegres, tristes e calmas.

Tudo se passou em um ambiente próprio e bem isolado de estímulos externos. Para cada participante do estudo, os cientistas buscavam identificar padrões de pensamentos convergente e divergente. Ou seja, pensamentos que convergem traz uma resposta rápida e de forma a ser possível para a resolução de uma questão, utilizando todos os recursos viáveis. Em vista disso, os cientistas colocaram uma incógnita que dependeria de uma busca além do que os participantes tinham como ferramenta.

Eles tiveram que buscar criar uma palavra que estava interligada com outras três, e assim, poderem resolver a incógnita. A busca pelo pensamento divergente era a chave para buscar uma solução para resolver a questão. Os cientistas utilizaram em uma das questões um tijolo para que os participantes pensassem nele, de forma que não fosse usado para construir um prédio, uma casa ou qualquer coisa semelhante. Eles tiveram que dar um novo significado para o uso deste tijolo.

O estudo concluiu que a música não influencia o pensamento convergente, porém, eleva os níveis de criatividade e possibilidade em pensamentos divergentes, atingindo uma pontuação de 76 a 94 em uma escala de 0 a 100.

Umas das recomendações dos responsáveis por esse estudo é que, ouvir as Quatro Estações de Vivaldi, uma das obras utilizadas para a conclusão do teste, é excelente para quem foca a criação de algo, sem ficar preso dentro da “caixa”. Não é preciso ser expert em música erudita para buscar uma que seja funcional neste sentido, basta deixar fluir e buscar viver os resultados sempre possíveis.