Na Austrália os coalas correm risco de extinção

Resultado de imagem para coalas em extinção

 

O coala, animal símbolo da Austrália, está correndo risco de extinção em algumas regiões do país, tendo como causas o desmatamento, o desenvolvimento da agricultura e a mineração, foi a conclusão do estudo publicado pelo World Wide Fund for Nature (WWF).

A autora do estudo, Efe Christine Adams-Hosking, declarou que em algumas áreas, a extinção do coala pode ocorrer em até vinte anos, se o seu habitat natural continuar sendo destruído.

Em Koala Coast, que é uma região preferencial para o desenvolvimento desses mamíferos, que fica no sul da cidade de Brisbane, os números foram reduzidos em 80% de 1996 a 2014. O estudo também mostra, que em Queensland, a redução foi de 53% e em Nova Gales do Sul, a diminuição da população de coalas, foi de 26%.

Os estudos feitos pelo WWF, também mostraram que a situação desses animais no sudeste de Queensland, é bem difícil, devido aos números registrados de mortes entre 2013 e 2015, cerca de 179 coalas, em uma área aproximada de 44 quilômetros quadrados.

Esses animais marsupiais, vivem há cerca de 25 milhões de anos na Austrália, mas na colonização europeia, foram perdendo o seu habitat para o desenvolvimento urbano, além do agrícola e para a atividade da mineração. Outro fator para o seu desaparecimento, foi a comercialização de sua pele, considerada comum até os anos 30.

O nome coala, que vem da língua aborígene e significa “não beber”, devido ao fato de 90% de sua hidratação, são de folhas de eucalipto que ele consome, está sendo considerada uma espécie com perigo de extinção em Nova Gales do Sul, Queensland e no Território da Capital Australiana.

Em outras áreas, os coalas foram mortos devido a clamídia, que é uma bactéria que produz lesões genitais e nos olhos, causa cegueira e infertilidade neles e pode levar à morte.

Para a pesquisadora, a extinção desses animais é o começo de uma tragédia maior, porque os seus habitats são sumidouros de carbono e os serviços naturais dos ecossistemas estão sendo destruídos. Entre outros pontos positivos da presença dos coalas, é a permissão da polinização das plantas e eles também ajudam a manter os solos saudáveis.

A perda desses espaços onde eles vivem, também acabam gerando outros riscos para a espécie, como o fato de terem que encontrar outro lugar para viverem, eles correm o risco de serem atropelados ao cruzar uma via, ou também serem atacados por cães. Nesses tipos de incidentes, geralmente eles acabam morrendo devido aos ferimentos.

Outro fator também é a mudança climática nas áreas mais distantes, onde o clima é mais quente e a quantidade de água diminui.

O estudo mostrou, que serão necessárias novas estratégias governamentais e também por parte das comunidades, para acabar com a destruição dos habitats desses animais. A ampliação das florestas onde existem populações desses animais, e a criação de áreas seguras perto de rios com eucaliptos, podem ser soluções para evitar essa extinção.

Os coalas são animais sensíveis a mudanças no seu hábitat, ele costuma cochilar cerca de vinte horas por dia, e usa as outras quatro horas para se alimentar de folhas.