Petrobras é condenada a pagar US$ 2,95 bi para investidores estrangeiros

A estatal Petrobras informou no dia 3 de janeiro de 2018 que existe um acordo judicial para acabar com as ações de investidores movidas contra a empresa. Essas ações estão em tramitação na corte federal de Nova York, sendo esses investidores estrangeiros e em grande parte norte-americanos. Segundo a Petrobras, o acordo que está sendo negociado estima um pagamento de US$ 2,95 bilhões parcelados em três vezes. A decisão poderá ser tomada por um magistrado nos Estados Unidos.

Em 2014, a Petrobras foi acionada pelo Wolf Popper LLP, um importante escritório de advocacia dos Estados Unidos, que em nome dos investidores portadores de ações da estatal entre os anos de 2010 e 2014, vieram a ter prejuízos com os escândalos envolvendo a empresa ao longo dos últimos anos. Segundo a análise realizada pelo escritório, a estatal brasileira agiu de má fé contra os investidores que investiram na empresa, devido ao fato de terem ocultado e maquiado informações que proporcionaram um grande esquema de desvio de dinheiro, investigado pela Operação Lava Jato aqui no Brasil.

Mesmo com um acordo assinado de forma legal, a Petrobras diz não ser a favor desta decisão. Em uma divulgação especial realizada no site da CVM – Comissão de Valores Mobiliários, a empresa Petrobras diz não ser culpada pelos fatos de corrupção ocorridos neste período, mas está disposta a arcar com este acordo.

De acordo com a Petrobras, “este acordo elimina o risco de um julgamento desfavorável que, conforme anteriormente reportado ao mercado no formulário anual arquivado na bolsa de valores brasileira e americana, poderia causar efeitos materiais adversos à Companhia e a sua situação financeira. Além disso, põe fim a incertezas, ônus e custos associados à continuidade dessa ação coletiva”.

Em comunicado, a Petrobras afirma ser também uma grande vítima da corrupção praticada contra seu próprios ideais, buscando medidas contra aqueles que permitiram a denigração de seu nome na história do Brasil. O valor que irá ser pago é de US$ 983 milhões parcelados em dois pagamentos, e um terceiro pagamento de US$ 984 milhões. Caso seja aprovada está negociação perante a corte norte-americana, o pagamento da primeira parcela terá que ser realizado 10 dias após a decisão.