Ritmo que salva vidas

Related image

 

Um ritmo que pode salvar a vida de uma pessoa em caso de parada cardíaca é o que os médicos da Sociedade Brasileira de Cardiologia do Estado de São Paulo criaram como uma forma lúdica para ensinar a massagem cardíaca

 

Em uma situação dessas, que o coração para de bater de repente e devemos fazer algo rápido, alguns passos podem aumentar as chances da pessoa que está tendo a parada cardíaca de sobreviver, que é algo pouco conhecido pelas pessoas. Para que esse procedimento fique gravado na cabeça das pessoas, a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo criou uma música pra ficar literalmente gravada na memória que traz 3 orientações básicas do que fazer quando alguém sofre uma parada cardíaca.

Essa música será apresentada durante o congresso da Socesp de modo oficial ainda no mês de junho de 2016. Essa iniciativa faz parte de uma ação para diminuir as mortes por doenças cardiovasculares e o diretor do Centro de Treinamento em Emergências da Socesp, Agnaldo Píspico, diz que: “A música e o próprio ritmo ajudam a reconhecer uma parada cardíaca, iniciar as compressões e ligar para o número de emergência”.

A parada cardíaca acontece quando há uma disfunção elétrica que faz com que o coração bata de forma irregular e devido a essa interrupção de atividade o coração para de bombear sangue. O coração treme em vez de bater e a pessoa fica inconsciente. Diferente de infarto que é quando acontece uma obstrução das veias do coração por gorduras presas nas paredes desses vasos.

Ocorre uma forte dor no peito, abdome e nas costas e a pessoa sente falta de ar e dor de cabeça.

A cada um minuto diminui em 10% as chances de ressuscitação, e no caso da massagem cardíaca não funcionar se usa um desfibrilador que somente os hospitais e unidades de atendimento móvel possuem. “Se eles forem usados no local da emergência, a vítima tem 70% de chances de sobreviver. Se ela esperar até o hospital, esse número cai para 2%”, diz o cardiologista Sérgio Timerman, do Instituto do Coração (Incor), de São Paulo.

A Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP) aponta que, em média, no Brasil morrem por dia cerca de 720 pessoas vítimas de ataques do coração. Ocorre um óbito a cada minuto e meio.

A última Pesquisa Nacional da Saúde apontou que as doenças cardiovasculares geram altos custos nas internações hospitalares e a Organização Mundial da Saúde tem a estimativa que até 2024 o Brasil ficará em primeiro lugar no ranking das mortes por esse tipo de doença que hoje em dia está em uma média de 720 mortes por dia por ataques do coração e um óbito a cada um minuto e meio.

Além da música será oferecido gratuitamente cursos de primeiros socorros.

 

Veja também: Guia de primeiros socorros para infarto