Uma máquina que absorve CO2 do ar foi criada na Suíça e o gás depois de transformado está sendo comercializado

Várias negociações sobre como executar as mudanças propostas no Acordo de Paris, foram discutidas na Conferência da ONU sobre o clima, que aconteceu na cidade alemã de Bonn. Os países participantes promovem iniciativas para diminuir a quantidade de CO2 encontrada na atmosfera, e com isso conter o aquecimento do planeta.

Apesar do CO2 constituir somente 0,04% da atmosfera global,  o índice de concentração atual  é o maior encontrado em 800 mil anos.

Conseguir retirar o gás carbônico da atmosfera é um projeto complicado e caro. Mas uma iniciativa para mudar isso está acontecendo na Suíça, onde foi criada uma máquina que tem como objetivo, extrair CO2 da atmosfera e transformá-lo em algo rentável.

Em Hinwil, uma cidade que fica perto de Zurique, um centro de reciclagem possui dezoito ventiladores que estão empilhados entre si, apresentando tamanhos parecidos com o de uma máquina de lavar. Esses aparelhos retiram o ar encontrado em volta, e apresentam filtros com elementos químicos dentro dele que extraem o gás carbônico do ar. Esses filtros são retirados quando ficam cheios e colocados em uma temperatura de 100º C, utilizando o calor produzido pelo próprio centro de reciclagem. Todo esse procedimento se reverte em um CO2 puro, que vai ser comercializado depois.

Esse sistema que extrai CO2 do ar foi criado pela empresa Climeworks da Suíça, e consegue absorver do ar cerca de 900 toneladas de CO2 anualmente. Esse gás acaba sendo comercializado com uma estufa que está localizada em uma região próxima da usina, sendo que esse gás carbônico puro é utilizado para incentivar o crescimento de vegetais.

Na opinião dos inventores da máquina, essa não é somente uma inovação brilhante, mas ela representa também um tipo de negócio lucrativo.

Jan Wurzbacher, um dos sócios da empresa, declarou que é a primeira vez que o gás carbônico é comercializado. Ele acredita que para incentivar a absorção de CO2 da atmosfera, é necessário que isso represente um comércio rentável.

A empresa Climeworks comercializa o CO2 com produtores de legumes e verduras da região, por cerca de US$ 600 a tonelada ou em reais o equivalente a R$ 1.970.

A empresa explica, que o valor alto é porque ela precisa produzir todos os componentes da máquina a partir do zero. Mas ela também acha que os valores do gás irão diminuir em pouco tempo, já que a tendência é de que haja um aumento da produção de gás e da procura pelo produto.