Ritmo que salva vidas

Related image

 

Um ritmo que pode salvar a vida de uma pessoa em caso de parada cardíaca é o que os médicos da Sociedade Brasileira de Cardiologia do Estado de São Paulo criaram como uma forma lúdica para ensinar a massagem cardíaca

 

Em uma situação dessas, que o coração para de bater de repente e devemos fazer algo rápido, alguns passos podem aumentar as chances da pessoa que está tendo a parada cardíaca de sobreviver, que é algo pouco conhecido pelas pessoas. Para que esse procedimento fique gravado na cabeça das pessoas, a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo criou uma música pra ficar literalmente gravada na memória que traz 3 orientações básicas do que fazer quando alguém sofre uma parada cardíaca.

Essa música será apresentada durante o congresso da Socesp de modo oficial ainda no mês de junho de 2016. Essa iniciativa faz parte de uma ação para diminuir as mortes por doenças cardiovasculares e o diretor do Centro de Treinamento em Emergências da Socesp, Agnaldo Píspico, diz que: “A música e o próprio ritmo ajudam a reconhecer uma parada cardíaca, iniciar as compressões e ligar para o número de emergência”.

A parada cardíaca acontece quando há uma disfunção elétrica que faz com que o coração bata de forma irregular e devido a essa interrupção de atividade o coração para de bombear sangue. O coração treme em vez de bater e a pessoa fica inconsciente. Diferente de infarto que é quando acontece uma obstrução das veias do coração por gorduras presas nas paredes desses vasos.

Ocorre uma forte dor no peito, abdome e nas costas e a pessoa sente falta de ar e dor de cabeça.

A cada um minuto diminui em 10% as chances de ressuscitação, e no caso da massagem cardíaca não funcionar se usa um desfibrilador que somente os hospitais e unidades de atendimento móvel possuem. “Se eles forem usados no local da emergência, a vítima tem 70% de chances de sobreviver. Se ela esperar até o hospital, esse número cai para 2%”, diz o cardiologista Sérgio Timerman, do Instituto do Coração (Incor), de São Paulo.

A Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP) aponta que, em média, no Brasil morrem por dia cerca de 720 pessoas vítimas de ataques do coração. Ocorre um óbito a cada minuto e meio.

A última Pesquisa Nacional da Saúde apontou que as doenças cardiovasculares geram altos custos nas internações hospitalares e a Organização Mundial da Saúde tem a estimativa que até 2024 o Brasil ficará em primeiro lugar no ranking das mortes por esse tipo de doença que hoje em dia está em uma média de 720 mortes por dia por ataques do coração e um óbito a cada um minuto e meio.

Além da música será oferecido gratuitamente cursos de primeiros socorros.

 

Veja também: Guia de primeiros socorros para infarto

 

Zhao Chuang: Conheça o homem que traz dinossauros à vida

Resultado de imagem para Zhao Chuang

Se você vier a este armazém em Pequim à noite, poderá ver o quanto é assustador. Mais de 20 dinossauros altos ficam no quintal, os dentes afiados e as garras são desenroladas; sendo mais de 40 modelos de tamanho natural – armações de aço que suportam carcaças de fibra de vidro e argila.

O ilustrador chinês Zhao Chuang, que emprega 30 pessoas em seu extenso estúdio na capital da China, é um artista voltado para paleontologistas, museus e editores de todo o mundo que querem levar os dinossauros à vida. Por dia, seu local de trabalho se parece muito com o conjunto de um filme do “Jurassic Park”.

Ele ocupa um lugar raro entre a arte e a ciência – usando dados científicos de fósseis e sua própria imaginação para desenhar, ele ilustra e modela as criaturas pré-históricas. Seu trabalho ganhou proeminência, assim como a China e os fascinantes dinossauros descobertos em seus ricos campos fósseis, passaram a dominar o campo da paleontologia.

Grande chance

A grande ruptura de Zhao ocorreu em 2006, quando sua ilustração de um antigo mamífero deslizante apareceu na capa da revista Nature. Depois disso, os pedidos aumentaram. Além de trabalhar com paleontólogos de todo o mundo, ele trabalhou com o Museu Americano de História Natural para sua recente exposição intitulada “Dinossauros entre nós”, que se concentrou nas ligações entre dinossauros e pássaros.

Zhao diz que os fatos fornecidos pelos paleontólogos que ele trabalha formam a “raiz” do desenho ou ilustração e sua imaginação a “coroa da árvore” – mas varia, dado o nível de detalhe que um fóssil fornece. “Quando o fóssil de dinossauro é altamente completo e preciso, a imaginação desempenha um pequeno papel”, diz ele.

Às vezes, ele trabalha com paleontólogos no campo – viajando para a província ocidental da China, Xinjiang e Mongólia Interior, onde muitos fósseis foram descobertos, para obter uma melhor sensação do ambiente em que os dinossauros viveriam.

Ele não disse o quanto ele ganha, mas obtém uma parcela da receita do bilhete no museu para as exposições em que trabalha e taxas de direitos autorais de editores e de uma empresa que fabrica brinquedos com base em seus modelos.

Zhao encontrou seu nicho exatamente como a China e suas descobertas de dinossauros desencadearam uma era de ouro da paleontologia. Os fósseis chineses forneceram evidências substanciais de que os dinossauros não eram os assassinos escamosos, reptilianos, retratados em filmes, mas emplumados, peludos e muito mais pássaros.

Ele trouxe à vida algumas das descobertas mais significativas de Xu: o microrrafo de quatro alas, Anchiornis, um dos dinossauros emplumados mais antigos e o gigantoraptor, um enorme dinossauro parecido com um pássaro. Xu diz que ele fornece as dimensões específicas do dinossauro e detalhes de características especiais, mas a cor do dinossauro é muitas vezes obra do artista.

É apenas recentemente, com alguns fósseis particularmente bem preservados, que os pesquisadores conseguiram dizer de forma definitiva a cor de um dinossauro, ao capturar informações de “melansomes” – pequenas estruturas enterradas dentro de penas que lhes dão cor.

 

Duda Melzer na lista do Cambridge Institute for Family Enterprise

Pela terceira edição seguida, Duda Melzer chairman do Grupo RBS, aparece na lista do Cambridge Institute for Family Enterprise (Instituto Cambridge de Empresas Familiares). Ela reúne os principais influenciadores líderes em negócios empresariais e filantrópicos. Conheça um pouco mais da importância da lista e da trajetória do empresário.

A lista é chamada de 17 Next Generation Family Enterprise Leaders to Watch in 2017 (17 líderes de empresas familiares para se observar em 2017), conta com personalidades de todo o mundo que estão a frente de instituições familiares, passadas de pai para filho. São líderes de organizações sociais considerados exemplos a serem seguidos.

A edição de 2017

A primeira vez que Duda Melzer foi indicado aconteceu em 2015. Na ocasião, eram 25 homens e mulheres que presidiam negócios familiares ou organizações sociais e foram considerados exemplos. Na edição de 2017, somente 17 pessoas receberam a oportunidade de participar da lista.

Além do presidente do Grupo RBS, Duda Melzer, outro brasileiro presente na relação foi o vice-presidente do Itaú, único brasileiro relacionado é Ricardo Villela Marino. Ainda fazem parte da lista Chelsea Clinton, filha do ex-presidente norte-americano Bill Clinton e vice chair da Clinton Foundation; John Elkann, atual presidente da Fiat Chrysler; Axel Dumas, CEO da Hermes International e etc.

A lista

A relação é escolhida por um time de especialista em empreendimentos familiares. Está a frente do grupo o professor doutor da Harvard Business School, John Davis, um dos mais renomados especialistas em empresas familiares da atualidade.

Segundo Davis, os participantes são pioneiros e sempre apresentam novas formas de liderar, não somente pela excelência com que lideram as organizações de suas famílias, como também impacto que geram na sociedade. Por isso merecem ser reconhecidos.

A lista é composta de líderes com menos de 50 anos, que estão à frente de empresas de família, bem-sucedidos, engajados em atividades inovadoras e que tem se mostrado capacitados para comandar seus negócios. Além de possuir valores que visam passar o legado da família para as próximas gerações, colaborando com uma sociedade mais evoluída.

O Cambridge Institute for Family Enterprise é considerado um instituto global cujo foco é a pesquisa e educação. O instituto dedica suas atividades aos assuntos relacionados por companhias familiares multigeracionais. Trata-se de um espaço em que os empreendedores podem aprender, trocar experiências, desenvolver suas habilidades e fortalecer a presença de suas companhias.

Sobre Duda Melzer

Eduardo Sirotsky Melzer é presidente do Grupo RBS, um conglomerado de mídia brasileiro que apresenta diferentes canais de comunicação dos quais se destacam a TV RBS, a Rádio Gaúcha, Rádio Atlântida, os jornais Zero Hora, Pioneiro, o Diário Gaúcho, entre outras mídias. Também fundou a e.Bricks, empresa de investimentos no setor de comunicação atuante no Brasil e Estados Unidos.

Duda Melzer nasceu na cidade de Porto Alegre e é formado em Administração pela pela PUC-RS, além de um MB pela Universidade de Harvard, nos EUA. Iniciou sua carreira no Grupo RBS em 2004 como Diretor-Geral para o Mercado Nacional e chegou a presidência em 2012.

Venezuela: manifestação em massa e confrontos violentos no 50º dia de protestos

Resultado de imagem para venezuela

Manifestações massivas e violentas, fez com que o número de mortos aumentassem e marcassem os 50 dias consecutivos de protestos contra o governo na Venezuela. Centenas de pessoas marcharam no sábado, dia 27 de maio, ao longo da rodovia Francisco Fajardo de Caracas, uma das principais rotas da cidade, enquanto algumas flanqueavam um sinal gigantesco que dizia “Eleições Agora” sobre um viaduto.

“São cinquenta dias em que enfrentamos ameaças, gases lacrimogêneos e pelotas, cinquenta dias em que transformamos o medo em coragem e força”, disse o líder oposicionista Miguel Pizarro no Twitter.

Os manifestantes anti-governo querem novas eleições e pedem a demissão do presidente Nicolas Maduro. O governo bloqueou repetidamente todas as tentativas de expulsar Maduro do poder por uma votação do referendo. Também atrasou as eleições locais e estaduais. Desde 29 de março, os líderes da oposição enfrentaram Maduro e seus apoiantes, acusando-o de impor uma ditadura.

A violência entra em erupção

Protestos se tornaram violentos em Caracas no sábado, quando manifestantes e policiais entraram em confronto rodeados por uma mistura de gás lacrimogêneo e explosivos. Vídeos mostram dezenas de manifestantes usando capacetes, bandanas e máscaras de gás correndo pelas ruas. Os tanques militares derrubaram as ruas com latas de gás arremessando no ar.

À medida que pequenas explosões entraram em erupção, médicos foram vistos transportando os feridos para ambulâncias próximas. Não está claro quantas pessoas ficaram feridas, mas mais de 950 ficaram feridas na Venezuela desde que os protestos começaram, disse o escritório do procurador-geral do país no mesmo sábado.

De luto pelas vítimas

Família e amigos enterraram Francisco Guerrero, de 15 anos, morto na semana anterior em meio a protestos no estado de Tachira, no oeste da Venezuela. No cemitério, o caixão de Guerrero – drapejado em uma bandeira da Venezuela – foi carregado ao som da canção com poemas líricos “mataram um inocente”. O adolescente estava em um mercado em uma área onde protestos anti-governo estavam acontecendo quando ele foi baleado no abdômen, de acordo com a Procuradoria Geral da Venezuela. Sua família acusou a Guarda Nacional do tiroteio.

Cerca de 2.000 soldados da Guarda Nacional e 600 forças de operações especiais foram enviados para Tachira na semana anterior, como parte do que o governo chama de estratégia para proteger e defender a nação. A morte de Guerrero é uma das 48 mortes relacionadas ao protesto que o escritório do procurador-geral está investigando. Algumas mortes foram associadas a protestos tanto da oposição como do governo, enquanto outras aconteceram durante atos de vandalismo não relacionados à agitação política.

Americanos reagem aos distúrbios da Venezuela

Os membros da comunidade latino-americana de Miami se reuniram também no sábado em um comício condenando ditaduras na Venezuela e da Cuba. Dezenas de pessoas se reuniram no Parque José Marti, em Little Havana, acenando bandeiras venezuelanas, cubanas e americanas.

“Esperamos que Trump bloqueie o petróleo de Maduro”, disse Carlos Fernandez. “Isso vai derrubar não só Maduro, mas também Castro”. A manifestação ocorreu poucos dias depois que o Departamento do Tesouro dos EUA emitiu sanções contra oito membros da Suprema Corte de Justiça da Venezuela e proibiu os cidadãos americanos de se engajarem em qualquer transação financeira com eles.

 

Kushner é suspeito de envolvimento com a Rússia

Image result for Jared Kushner

Jared Kushner, o genro do presidente e um dos seus conselheiros seniores da Casa Branca, foi submetido ao escrutínio do FBI na investigação russa, disseram várias autoridades norte-americanas. Os investigadores acreditam que Kushner tem informações importantes para o inquérito. O que não significa que os investigadores suspeitam de que Kushner seja culpado por algo ou que ainda eles possa acusa-lo.

O escrutínio do FBI por Kushner coloca a contra inteligência e a investigação criminal da mesa, não só na porta da Casa Branca, mas também no círculo da família Trump. O Washington Post informou no final de maio que um funcionário da Casa Branca, era uma “pessoa de interesse “, mas não nomeou a pessoa. O termo “pessoa de interesse” não tem significado legal.

Os funcionários disseram que Kushner está em uma categoria diferente dos antigos assessores do Trump, Paul Manafort e Michael Flynn, que são formalmente considerados assuntos da investigação. De acordo com o Manual de Advogados dos EUA do Departamento de Justiça , um sujeito de uma investigação é uma pessoa cuja conduta está no âmbito da investigação do grande júri. Os registros de Manafort e Flynn foram exigidos por intimações do grande júri.

Não se sabe se a Kushner recebeu pedidos de registros de pesquisadores federais. Também não está claro porque as atividades de Kushner atraiu o interesse do FBI, pois os agentes estão investigando se os associados do Trump coordenaram com a campanha russa para interferir nas eleições. O ex-diretor do FBI, Robert Mueller, está liderando a pesquisa como um conselho especial. Kushner se encontrou pelo menos uma vez em dezembro com o embaixador russo, Sergey Kislyak, e também se encontrou no ano passado com um banqueiro russo, Sergey Gorkov.

“Jared Kushner se ofereceu anteriormente para compartilhar com o Congresso o que ele sabia sobre essas reuniões”, disse o advogado de Kushner, Jamie Gorelick. “Ele fará o mesmo se ele for contatado em conexão com qualquer outro inquérito”.

Os assessores do Congresso disseram que gostariam de questionar Kushner sobre essa reunião, e Kushner disse que compareceria voluntariamente perante o comitê de inteligência do Senado como parte de sua investigação na Rússia.

Gorkov é presidente da VneshEconomBank, uma instituição de propriedade do governo russo que foi sancionada pelos EUA desde julho de 2014. Gorkov estudou na escola de treinamento do FSB, um dos serviços de inteligência da Rússia. Kushner, cujo império imobiliário da família vale US $ 1,8 bilhão, de acordo com Forbes, exerce um poder significativo na Casa Branca. Além de tudo isso, ele é casado com a filha de Trump, Ivanka.

O encontro entre Kushner e Gorkov foi admitido pela Casa Branca e pela VEB, no entanto, nenhuma das instituições revelaram o local, a data, ou o motivo do encontro.

 

Heads Propaganda, de Claudio Loureiro, é a 13ª colocada no ranking das 30 melhores empresas do país para as mulheres atuarem

O ranking feito pelo instituto Great Place to Work, no último dia 9 de maio – a instituição reconheceu as 30 companhias que se destacam. A Heads Propaganda de Claudio Loureiro, – agência de publicidade ocupa a 13ª posição no ranking geral de médias empresas. Ela é, inclusive, a única empresa do setor de comunicação inclusa na lista.

O ranking do Great Place to Work foi criado pelo Instituto em 2016. A ideia é, com ele, dar visibilidade às companhias que melhor estão tratando as questões de diversidade, igualdade e inclusão – assim a agência Heads, de Claudio Loureiro.

Contudo, este ano teve novidade – a lista foi dividida em duas partes, grandes e médias empresas. A avaliação é realizada conforme o resultado de pesquisas respondidas pelas próprias funcionárias das organizações que participam da lista – no entanto, um dos critérios para ser avaliada, é ter o mínimo de 100 funcionários.

A sócia-diretora da Heads Propaganda, Gabriela Duarte, destaca – “Recebemos esse prêmio com felicidade e compromisso para nos mantermos firmes no propósito de contribuir para um ambiente de trabalho equilibrado e com oportunidade para todos e todas. Temos nos guiado pelos princípios de igualdade de gênero também no trabalho para nossos clientes e nas discussões setoriais das quais participamos”.

Os diferencias da agência Heads Propaganda de Claudio Loureiro

Com escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba, a Heads Propaganda, atualmente, é uma das 30 maiores agências de publicidade do Brasil, de acordo o IBOPE-Monitor.

A Heads de Claudio Loureiro possui capital 100% nacional e é a primeira da América Latina a se tornar signatária dos Princípios de Empoderamento das Mulheres, da ONU Mulheres. Ela também tem diversos programas em prol da equidade de gênero na comunicação – é a idealizadora, por exemplo, da pesquisa “TODXS?”, que faz uma análise de representatividade na publicidade do país, debatendo a importância de repensar a maneira como as pessoas e as situações são representadas na comunicação.

A Heads de Claudio Loureiro também tem o cuidado de auxiliar os clientes e prospects para que as campanhas não sejam percebidas como depreciativas ou apelativas ao gênero feminino. Segundo a consultoria Deloitte, a companhia também é, há dois anos, a empresa que mais cresce no país no seu campo de atuação.

Ranking do instituto Great Place to Work

Grandes Empresas

1- Laboratório Sabin

2- AccorHotels

3- Tokio Marine Seguradora

4- Itaú Unibanco

5- IBM Brasil

6- Takeda

7- Dell Computadores do Brasil

8- Banco Santander do Brasil

9- Roche Farmacêutica

10- Centro Universitário UMA

11- Whirlpool

12- Sesc/RS

13- Atento Brasil

Médias empresas

1- Ford Credit Brasil

2- Pandora

3- Brystol-Myers Squibb

4- P&G – Escritórios SP e Recife

5- Aspen Pharma

6- Zurich Santander Seguros e Previdência

7- Amêndoas do Brasil

8- Roche Diagnóstica

9- ThoughtWorks Brasil

10- Unimed Federação Minas

11- Visagio

12- Assurant

13- Heads Propaganda

14- Shankhya

15- Fortbrasil

16- Ticket Serviços S/A

17- Alelo

 

Jornalista mexicano é morto em Sinaloa

O jornalista mexicano Javier Valdez Cárdenas, que reportou extensivamente sobre o tráfico de drogas, foi morto na segunda-feira (dia 29 de maio) em Sinaloa, disseram autoridades. Ele é o quinto jornalista a ser morto no México este ano. Riodoce, cuja publicação semanal Valdez fundou e trabalhou, relatou que foi morto a tiros. Valdez era um jornalista bem respeitado em Sinaloa e publicou vários livros sobre tráfico de drogas, crime e seus efeitos sobre as comunidades.

Falando sobre a cena do crime em Culiacán, o procurador do Estado de Sinaloa, Juan José Ríos Estavillo, prometeu que seu departamento proporcionaria mais proteção aos jornalistas. De acordo com o Committee to Protect Journalists, 40 jornalistas foram mortos no México desde 1992.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, expressou suas condolências para a família e amigos de Valdez. “Reitero o nosso compromisso com a liberdade de expressão e a imprensa, que são fundamentais para a nossa democracia”, disse Nieto.

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas concedeu à Valdez o Prêmio 2011 da Liberdade de Imprensa. “Em um país onde a autocensura generalizada é consequência da violência por sindicatos de drogas e bandas criminosas, Valdez ainda cobre questões sensíveis”, escreveu o CPJ no anúncio do prêmio.

Em setembro de 2009, Riodoce publicou uma série sobre o tráfico de drogas. Dias depois, seus escritórios foram danificados por uma granada, de acordo com o CPJ. Em seu discurso de aceitação em Nova York em 2011, Valdez falou sobre a mensagem em dois de seus livros, “Miss Narco” e “The Kids of the Drug Trade”, “Eu falei da tragédia que o México está vivendo, uma tragédia que deveria nos lembrarmos disso como um tempo de guerra. Seu DNA é tatuado com balas, armas e sangue, e isso é uma forma de matar amanhã. Somos assassinos do nosso futuro”.

Valdez também foi correspondente da La Jornada em Sinaloa e trabalhou com a agência de notícias AFP. “Nós lamentamos essa tragédia e enviamos todas as condolências à família de Javier e aos que estão perto dele. Solicitamos às autoridades mexicanas que lançem toda a luz sobre esse assassino covarde”, disse a diretora de notícias da AFP, Michèle Léridon, em um comunicado oficial.

Em entrevista relizada em fevereiro de 2013, Valdez disse ao Gary Tuchman, que o líder do Cartel de Sinaloa, Joaquín Guzman, El Chapo, não estava apenas vivo, mas continuava fazendo negócios. No momento da entrevista, Riodoce foi um dos únicos trabalhos que continuaram a cobrir El Chapo e o cartel de Sinaloa.

Familiares, amigos e leitores que acompanhavam o trabalho de Valdez, sofrem com a perda violenta de um jornalista empenhado em mostrar a verdade sobre diversas questões socioeconômicas. Sua dedicação no trabalho, é lembrada pelos que acompanhavam a trajetória dele com admiração.

Na Austrália os coalas correm risco de extinção

Resultado de imagem para coalas em extinção

 

O coala, animal símbolo da Austrália, está correndo risco de extinção em algumas regiões do país, tendo como causas o desmatamento, o desenvolvimento da agricultura e a mineração, foi a conclusão do estudo publicado pelo World Wide Fund for Nature (WWF).

A autora do estudo, Efe Christine Adams-Hosking, declarou que em algumas áreas, a extinção do coala pode ocorrer em até vinte anos, se o seu habitat natural continuar sendo destruído.

Em Koala Coast, que é uma região preferencial para o desenvolvimento desses mamíferos, que fica no sul da cidade de Brisbane, os números foram reduzidos em 80% de 1996 a 2014. O estudo também mostra, que em Queensland, a redução foi de 53% e em Nova Gales do Sul, a diminuição da população de coalas, foi de 26%.

Os estudos feitos pelo WWF, também mostraram que a situação desses animais no sudeste de Queensland, é bem difícil, devido aos números registrados de mortes entre 2013 e 2015, cerca de 179 coalas, em uma área aproximada de 44 quilômetros quadrados.

Esses animais marsupiais, vivem há cerca de 25 milhões de anos na Austrália, mas na colonização europeia, foram perdendo o seu habitat para o desenvolvimento urbano, além do agrícola e para a atividade da mineração. Outro fator para o seu desaparecimento, foi a comercialização de sua pele, considerada comum até os anos 30.

O nome coala, que vem da língua aborígene e significa “não beber”, devido ao fato de 90% de sua hidratação, são de folhas de eucalipto que ele consome, está sendo considerada uma espécie com perigo de extinção em Nova Gales do Sul, Queensland e no Território da Capital Australiana.

Em outras áreas, os coalas foram mortos devido a clamídia, que é uma bactéria que produz lesões genitais e nos olhos, causa cegueira e infertilidade neles e pode levar à morte.

Para a pesquisadora, a extinção desses animais é o começo de uma tragédia maior, porque os seus habitats são sumidouros de carbono e os serviços naturais dos ecossistemas estão sendo destruídos. Entre outros pontos positivos da presença dos coalas, é a permissão da polinização das plantas e eles também ajudam a manter os solos saudáveis.

A perda desses espaços onde eles vivem, também acabam gerando outros riscos para a espécie, como o fato de terem que encontrar outro lugar para viverem, eles correm o risco de serem atropelados ao cruzar uma via, ou também serem atacados por cães. Nesses tipos de incidentes, geralmente eles acabam morrendo devido aos ferimentos.

Outro fator também é a mudança climática nas áreas mais distantes, onde o clima é mais quente e a quantidade de água diminui.

O estudo mostrou, que serão necessárias novas estratégias governamentais e também por parte das comunidades, para acabar com a destruição dos habitats desses animais. A ampliação das florestas onde existem populações desses animais, e a criação de áreas seguras perto de rios com eucaliptos, podem ser soluções para evitar essa extinção.

Os coalas são animais sensíveis a mudanças no seu hábitat, ele costuma cochilar cerca de vinte horas por dia, e usa as outras quatro horas para se alimentar de folhas.

 

As autoridades dos Estados Unidos estão preocupadas com a nova droga “morte cinza”

Uma nova droga chamada “morte cinza” tem sido associada a um punhado de overdose letal no Sul dos Estados Unidos, mas ninguém sabe exatamente os elementos que compõem a droga ou de onde ela vem. A droga, que é uma mistura de opiáceos, pode matar em doses muito pequenas e é bastante semelhante a pó de mistura de concreto.

“Quando ouço falar de algo novo como a morte cinza, o meu primeiro pensamento é: ‘Existe algum novo composto que ainda não descobrimos?'”, disse Donna Iula, diretora de química forense da Cayman Chemical, uma empresa de biotecnologia que trabalha com laboratórios federais e estaduais de criminalidade para identificar drogas de rua desconhecidas.

Nos últimos quatro meses, a polícia da Geórgia apreendeu cerca de 50 lotes de morte cinza em todo o estado, sendo o metrô de Atlanta um importante ponto de distribuição da droga. A droga também começou a surgir no Alabama, Ohio e Pensilvânia, segundo as autoridades locais de cada estado.

Porque os ingredientes mudam de amostra para amostra, cada lote de morte cinza é um mistério – até a sua cor possui variação. “Até hoje, não tenho ideia do que o torna cinza”, disse Deneen Kilcrease, um químico forense do Laboratório de Criminalidade da Georgia Bureau of Investigation. “Nada que compõe a droga deveria dar essa cor.”

Os investigadores encontraram uma variedade de opioides em amostras de morte cinza. “Essas substâncias químicas são todas muito potentes e muito mortais isoladas, mas nas mãos erradas, torna-se uma rota rápida para o necrotério”, disse Iula.

“Houve várias overdoses e mortes por overdose relacionadas ao consumo da droga na Geórgia e no Alabama”, disse um relatório da Área de Tráfico de Drogas de Alta Intensidade do Golfo. Os especialistas em toxicologia relataram que os resultados da autópsia ainda estão pendentes para os casos da Geórgia.

Dois dos homens que consumiram a droga tiveram uma overdose em Auburn, Alabama, de acordo com o relatório. Um dos homens injetou a droga, e o outro bufou. O relatório ainda revelou que quando um dos usuários de drogas desmaiou, o outro homem tentou ressuscitá-lo antes dele ter uma overdose.

Como os testes de laboratório só podem pegar apenas um ingrediente, como heroína ou fentanil, ainda poderá acontecer outras overdoses por causa da morte cinza, segundo Kilcrease.

A Geórgia confirmou seis mortes por causa do opioide U-47700 e 12 mortes por causa do furanilfentanil somente neste ano, relatou Kilcrease. “Você pode jogar qualquer coisa em um saco e chamá-lo de morte cinza”, disse Iula. “Vai variar constantemente, e isso vai manter os químicos e os médicos examinadores bastante ocupados tentando descobrir a fórmula verdadeira.”

Em novembro, a DEA listou o U-47700 como droga da Lista I, uma categoria restritiva para drogas com alto potencial de abuso. A agência tomou esta medida de emergência após dezenas de mortes em todo o país. “Substâncias como o U-47700 são muitas vezes fabricadas em laboratórios ilícitos no exterior, a identidade, pureza e quantidade são desconhecidas, criando um cenário de roleta russa para qualquer usuário”, disse a DEA em um comunicado.

 

Uma busca de 100 milhões de dólares por alienígenas surgiu com pistas intrigantes

Observações de quase 700 estrelas pelo Green Bank Telescope (GBT) na Virgínia Ocidental não revelaram sinais convincentes de civilizações alienígenas, relatou os representantes do projeto Breakthrough Listen, que liderou as observações para a pesquisa ET, anunciada em 20 de abril de 2017. Os membros da equipe também revelaram os 11 eventos mais significativos observados pelo GBT, mas enfatizaram que esses eventos foram provavelmente causados pela tecnologia humana.

“Conseguimos determinar que eles eram mais prováveis devido a interferência de rádio frequência”, Andrew Siemion, diretor da Universidade da Califórnia, Berkeley’s SETI (Pesquisa de Inteligência Extraterritorial), disse no final do mês de abril durante uma apresentação na Breakthrough Discutir conferência.

Os novos resultados são apenas o começo de Breakthrough Listen, que o empresário multimilionário Yuri Milner e um grupo de cientistas, incluindo Stephen Hawking, anunciaram em julho de 2015. Na próxima década, o ambicioso projeto visa a busca do 1 milhão de estrelas mais próximas ao sol, as 100 galáxias mais próximas da nossa Via Láctea e o plano galáctico para possíveis sinais de vida extraterrestre inteligente.

Os cientistas estão começando com uma lista inicial de 1.709 estrelas, que a equipe está observando com três telescópios: o prato de rádio GBT de 330 pés, o radiotelescópio Parkes de 210 pés de largura na Austrália e o Automated Planet Finder o telescópio óptico no Lick Observatory em Califórnia.

“Esta amostra de estrelas é projetada para ser o que chamamos de ‘tipo espectral completo’ – amostras de estrelas de todos os tipos espectrais”, disse Siemion. “Queremos olhar para tantos tipos diferentes de estrelas quanto possível, para nos deixar abertos a qualquer possibilidade de que a vida possa surgir em torno de uma dessas estrelas”.

Os resultados recentemente anunciados, que a equipe submeteu ao jornal astrofísico, são baseados em dados de GBT para 692 daquelas 1.709 estrelas. O telescópio fez cerca de 5.000 observações individuais de 5 minutos, acumulando um total de 400 horas de observação, disse Siemion.

Essas observações visavam uma faixa de frequências que inclui o “buraco de água”, uma parte tranquila do espectro de rádio que os cientistas da SETI há muito especularam que seria uma boa janela para a comunicação interestelar. O buraco de água situa-se entre a banda de emissão de moléculas de hidroxila (OH) e a de hidrogênio. Juntos, hidroxila e hidrogênio formam água – daí o nome.

“Esses resultados representam o teste mais abrangente e fundamental da hipótese de buraco de água que já foi conduzida em estrelas próximas”, disse Siemion. “Esta é uma ideia clássica na busca por inteligência extraterrestre que está conosco há mais de quatro décadas”.

Breakthrough Listen é parte das Iniciativas Avançadas, que Milner fundou em 2015 para procurar provas de vida além da Terra e ajudar a estimular a exploração espacial. Outro programa sob esta mesma pesquisa é o Breakthrough Starshot, que visa desenvolver um sistema que pode explodir dispositivos minúsculos, equipados com vela para outros sistemas de estrelas em 20% a velocidade da luz usando lasers poderosos.