Universidade de Oxford aprova a paquistanesa Malala, ganhadora do Nobel da Paz

Image result for Malala

Premiada com o Nobel da Paz por ter lutado pelos direitos das mulheres paquistanesas de estudarem, Malala Yousafzai anunciou recentemente que irá realizar a sua graduação na Universidade de Oxford. A jovem também sobreviveu a um atentado em seu país, enquanto lutava pelos direitos à educação para as mulheres, agora ela comemora sua aprovação na universidade britânica.

O anúncio foi feito através do twitter da paquistanesa que disse: “Estou muito feliz de ir para Oxford”.A jovem de apenas 20 anos, divulgou o tweet com uma imagem onde está escrito uma mensagem da própria universidade aprovando a sua admissão para filosofia, política e economia.

O dia do anúncio escolhido por Malala, também trouxe referências a sua vida de lutas e conquistas. O dia em questão, faz menção ao mesmo dia em que os estudantes do Reino Unido recebem as notas finais dos exames do ensino médio e consequentemente as aprovações nas universidades. Para quem não sabe sobre a vida de Malala, ela fugiu de seu país em um atentado e conseguiu refúgio através desses estudantes no Reino Unido.

O anúncio feito por Malala não revelou qual foi a nota tirada no exame de admissão, mas ela comemorou o feito e parabenizou a todos que também lutaram para conseguir. Ela desejou a todos os estudantes admitidos e aos que estão tentando entrar para a universidade: “o melhor da vida”.

A história de Malala é ainda mais desafiadora do que parece, quando ela tinha apenas 15 anos de idade, sofreu um atentado dentro do ônibus que se dirigia em direção a escola localizada no vale de Swat, no Paquistão. Nesse atentado, Malala foi atingida por uma bala na cabeça que foi atirada por um talibã. Felizmente a paquistanesa conseguiu sobreviver à tentativa de homicídio e hoje se tornou um símbolo da sobrevivência e da luta pela educação das mulheres.

Quando Malala completou seus 17 anos, no ano de 2014, ela recebeu a premiação do Nobel da Paz ao lado de Kailash Satyarthi, um jovem indiano que também contribuiu com ativismo em prol de direitos negados, dessa vez para as crianças carentes de seu país.

 

Testes rápidos para dengue e chikungunya são adicionados ao SUS

Sabemos que cabe ao Estado não apenas as campanhas de prevenção às doenças causadas pelo mosquito aedes aegypti, mas também oferecer um tratamento adequado às suas vítimas, por meio do Sistema Único de Saúde, o SUS. No entanto, entre a prevenção e o tratamento, há uma terceira etapa imprescindível: o diagnóstico. Por isso mesmo que, numa recente publicação feita no Diário Oficial da União, mais precisamente numa quinta-feira, dia 10 de agosto deste ano, 2017, ficou oficializada a adição dos testes rápidos tanto para dengue quanto para chikungunya à tabela do SUS. Assim sendo, pode-se concluir que será facilitada, com essa medida anunciada, a realização dos diagnósticos das referidas enfermidades. E facilitada de forma tal que terminará pela dispensação da estrutura laboratorial, o que, por sua vez, traz uma economia nesse processo de detecção de doenças.

Ainda observa o Ministério da Saúde sobre os detalhes da medida, ao quantificar a disponibilização dos testes aos estados e municípios. Segundo o MS, serão fornecidos, para a detecção da chikungunya, ao todo, um milhão de testes rápidos imunocroatográficos IgM. Já para a dengue, um total de dois milhões de testes rápidos imunocromatografia qualitativa (IgM/IgG).

Já sobre os testes em si, podemos especificar que esses resultados que comprovarão se o paciente está ou não infectado com determinada doença, deverão ter seus resultados liberados após um período de 20 a 30 minutos apenas. Todavia, é imprescindível que o paciente não só apresente os sintomas que têm relação às condições, como também possua o cartão do SUS, para que possa então ser submetido à testagem. E o cartão do SUS, para quem não sabe, poderá ser adquirido facilmente, bastando levar um documento pessoal em qualquer unidade de saúde, para consegui-lo.

E vale ainda muito destacar o quão importantes são os testes rápidos, como no caso destes já citados, visto que assim tem-se um diagnóstico precoce, mais favorável à realização de um tratamento adequado e eficiente. Fora isso, os dados coletados sobre as infecções aqui tratadas, acabarão por servir na complementação dos dados do governo nessa área de saúde, contribuindo então para que se tenha uma melhor vigilância epidemiológica no Brasil.

Relembre a trajetória do Viper e de seu baterista Cassio Audi

Resultado de imagem para banda viper + cassio audi

Após tentarem com outras bandas, o guitarrista Pit Passarel e o baixista Yves Passarel se juntaram ao guitarrista Felipe Machado, o baterista Cassio Audi e o vocalista André Matos. O ano era 1985 e o grupo o Viper, uma das mais expressivas bandas de metal do Brasil.

Na época, alguns dos integrantes como Cassio Audi não tinham nem 18 anos, mas partilhavam de um sonho: ser grande. A banda surgiu por influência da “Praça do Rock”, um programa da década de 80 que também foi determinante para formação de muitas bandas da época.

O Viper se apresentou no programa e a receptividade foi muito boa e rendeu apresentações no Projeto SP Metal, no Teatro Lira Paulistana, aumentando a visibilidade da banda. A partir daí os garotos gravaram sua primeira Demo, chamada The Killera Sword.

O Soldiers of Sunrise

Sem Cassio Audi na bateria, a banda gravou seu primeiro álbum, o antológico Soldiers of Sunrise, em 1987 pelo selo Rock Brigade. Os riffs rápidos, o vocal pesado e as cavalgadas mostram as influências de bandas como O Iron Maiden e Judas Priest. Até hoje o “SoS” é considerado um dos mais respeitados álbuns do heavy metal brasileiro.

Em pouco tempo o álbum destacou-se entre as principais mídias do segmento do país e do mundo. Metal Hammer, Kerrang e a Metal Force foram algumas das revistas que mencionaram o Soldiers of Sunrise impulsionando a venda de mais de 10 mil cópias.

A banda já era conhecida, o que abriu portas como a abertura do show da banda Motörhead, de Lemmy Kilmister.

Pouco depois lançaram o segundo álbum, intitulado o “Theatre of Fate”, de 1989. O disco foi gravado no Brasil e mixado na Inglaterra. Com uma pegada mais “clássica”, esse disco contou com uma orquestra e uma experimentação musical totalmente nova. Em 1991 ele chegou ao Japão e na Europa.

Seu sucesso levou a banda a um patamar maior com o contrato com uma nova gravadora, a LMP (Limb Music Products Publishing) que levou a banda para apresentações em diferentes partes do mundo como Alemanha e Japão.

A saída de André Matos

Assim como Cassio Audi, o vocalista Andre Matos saiu da banda no ano de 1992 para dedicar-se aos estudos musicais na Faculdade de Artes Santa Marcelina, transferindo-se no último ano para a Faculdade de Artes Alcântara machado onde Andre Matos graduou-se em Regência Orquestral e Composição Musical.

A banda formada por André Matos, Pit Passarell, Yves Passarell, Cassio Audi e Felipe Machado não era a mesma, contudo ela continuava na ativa. Em 1992 gravaram o álbum Evolution e fizeram turnê no Japão.

Em 1993 o Viper gravou o álbum ao vivo Maniacs in Japan. Ao retornar da turnê japonesa, o grupo abre dois shows para o Metallica, sendo um dos momentos mais marcantes da banda.

O álbum seguinte foi o Coma Rage, em 1994, gravado em Los angeles. Este trabalho destaca-se por seu estilo mais Hardcore Metal.

Em 1996 a banda grava o álbum “Tem Pra Todo Mundo”, com músicas em português que não agradaram o público. No mesmo ano a banda encerra (até 2006) as atividades por conta da falência da gravadora.

Quais são os alimentos essenciais no combate de hipertensão?

Imagem relacionada

As doenças cardiovasculares são uma das principais causas de morte no nosso país e em grande parte dos casos ela é decorrente da pressão alta. De acordo com pesquisas recentes, a pressão alta atinge grande parte da população brasileira, chegando até mesmo a 50% em pessoas da terceira idade.

A Hipertensão não tem cura, mas pode ser baixada através de um controle e de mudanças de hábito. Como uma alimentação saudável e a pratica de exercícios leves, como caminhadas.

Alguns dos alimentos que auxiliam a baixar a pressão são: A Aveia, que além de ser uma excelente fonte de fibras, vitaminas e minerais, também ajuda no processo de emagrecimento por retardar o esvaziamento gástrico, o que acaba por prolongar a sensação de saciedade. Assim, este alimento ajuda no controle da glicose e com o magnésio e o cálcio, auxiliam no relaxamento da musculatura e no inchaço corporal.

As amêndoas e as nozes também possuem inúmeros benefícios, pois possuem altas quantidades de magnésio e por isso atuam como vasodilatadores, ampliando os vãos sanguíneos. O alimento ainda é rico em vitamina E, retardando o envelhecimento e diversas complicações cardíacas.

Os alimentos ricos em ômega 3 como a o salmão, a sardinha, atuam, linhaça e azeite, já que possuem ácidos graxos. Estudos têm comprovado que o consumo diário dessas substâncias auxilia na vasodilatação.

Ervas como a salsa, a cebolinha, o coentro, o alecrim, a sálvia, o manjericão e o louro também substituem o sal, o que diminui em grande quantidade seu uso. A redução de sódio favorece a diminuição de retenção de líquidos. Já o Alho, tem alto poder antioxidante, atuando na diminuição de radicais livres, que favorecem o envelhecimento precoce e também combatem o câncer e doenças cárdicas. Os cereais integrais também são ricos em vitaminas, diminuem as chances de diabetes, previnem o câncer e auxiliam na hipertensão.

O Potássio também é outra substância benéfica encontrada em uma gama de alimentos. E por fim, o leite e seus derivados funcionam como hipotensor, atuam na diminuição da pressão sanguínea, o que estimula a eliminação de sódio no sangue.

 

Conheça 4 tipos de batom que são tendência atualmente

Resultado de imagem para Conheça 4 tipos de batom que são tendência atualmente

O batom é um dos itens de maquiagem preferidos das mulheres, pois além de serem fáceis de aplicar, eles conseguem transformar a aparência em apenas alguns instantes. Por esse motivo, é imensa a variedade de cores, texturas e acabamentos vendidos nas lojas atualmente, porém, as principais tendências da estação são as seguintes:

Novo metálico

Ao contrário dos batons metálicos tradicionais, o novo metálico que está em alta é levemente cintilante, com algumas pequenas partículas peroladas. Apesar disso, esses batons estão com a duração maior, similar aos batons opacos, resultado das novas fórmulas utilizadas nos produtos, que tem o objetivo de potencializar o efeito metalizado sem perder a durabilidade.

Porém, antes de utilizar esses batons metalizados, é fundamental hidratar bem os lábios, porque o efeito cromado do metálico tende a ressaltar as linhas naturais dos lábios.

Balm com cor

Se antigamente os chamados lip balms causavam frustração por serem transparentes e não terem cor alguma, nos dias de hoje, essa categoria de produtos está com fórmulas nutritivas e hidratantes, que além de serem ótimas para os lábios, também possuem cores vibrantes e que duram na boca, sendo assim um item dois em um, que hidrata e garante mais vida aos lábios ao mesmo tempo.

Matte moderno

Os novos batons com textura matte estão mais finos, o que os torna mais fáceis de aplicar, além de confortáveis nos lábios com o passar das horas sem perderem sua característica opaca. Para não errar na mão, maquiadores profissionais garantem que o ideal é não exagerar na quantidade, sendo que no caso dos batons matte líquidos, basta passar apenas uma camada pois eles tem uma excelente pigmentação.

Brilho estilo verniz

Parecidos com um gloss, os batons com brilho envernizado possuem fórmulas em gel, compostas por manteigas que hidratam e são muito pigmentadas, capazes de colorir os lábios em uma única camada. Além disso, essa textura muito brilhante tem a vantagem de fazer os lábios parecerem maiores, efeito que pode ser potencializado com o uso de um lápis de boca para contornar os lábios antes da aplicação do batom.

Uma equipe de astrônomos encontrou uma lua fora do nosso sistema

Resultado de imagem para lua fora do nosso sistema

Uma lua pode ter sido encontrada fora do nosso Sistema Solar por astrônomos. Se esse estudo se confirmar, essa exolua pode ter a dimensão e a massa de um planeta como Netuno, e estar na órbita de um planeta com cerca de dez vezes mais a sua massa, tendo o tamanho aproximado de

Júpiter.

Essas imagens foram captadas pelo  telescópio espacial Kepler , e os pesquisadores pretendem utilizar o Hubble daqui a alguns meses, para levantar mais dados e assim poder realizar maiores estudos, para confirmar essa teoria.

Uma matéria foi feita sobre essa possível exolua, e foi publicada no site de matérias científicas Arxiv. Até o momento, os astrônomos já conseguiram encontrar cerca de três mil exoplanetas, que são planetas que fazem a órbita de estrelas diferenciadas do Sol.

Devido às limitações da tecnologia mundial existentes no momento, ainda não foram encontrados satélites extrassolares. Mas as tentativas de encontrar às exoluas, que ficam orbitando em planetas de outros sistemas, continuaram paralelamente ao estudo.

O professor assistente David Kipping, da Universidade de Columbia em Nova York, contou que passou quase todos os anos da sua vida adulta, procurando exoluas, e avisa que é melhor manter uma certa cautela, em relação a essa descoberta. Ele ainda acrescenta, que ela pode parecer com uma lua, mas que sempre pode ser outra coisa.

A procura por planetas está sendo feita pelo telescópio espacial Kepler, sendo que ele encontra diminutas variações no brilho das estrelas que acontecem na hora em que um planeta passa diante dela, sendo essa situação conhecida como “trânsito”. Os astrônomos estudam a diminuição da luminosidade das estrelas antes e após esse fenômeno, para achar as exoluas.

O sinal favorável para o encontro das exoluas aconteceu durante três trânsitos, um número que foi considerado um pouco baixo pelos pesquisadores para que o anúncio desse novo fato fosse revelado.

Esses estudos foram feitos por Kipping e seus colegas Alex Teachey, também da Universidade de Columbia, e pelo cientista, Allan R. Schmitt, e que foi concedido um grau de confiança no sinal captado de “quatro sigma”, isso acaba mostrando o quanto é difícil que um resultado desse nível experimental, tenha acontecido apenas por acaso.

Os pesquisadores estão empolgados, já que a descoberta tem uma expectativa bem alta de sua existência. Mas as confirmações só poderão ser feitas, depois dos dados que vão ser obtidos através do Hubble, em outubro.

A possível exolua foi batizada de Kepler-1625b I e foi localizada fora do nosso sistema, situada a quatro mil anos-luz da Terra.

Atualmente se acredita que a formação planetária propõe que o corpo celeste, que estaria fazendo a sua órbita em um planeta com as dimensões de Júpiter, possivelmente não tenha se formado ali, mas sim ter ocorrido a sua captura pela gravidade do planeta, em uma etapa adiantada da evolução do seu conjunto de planetas.

2% da população sofre de TOC, o transtorno obsessivo-compulsivo

O TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo, não é uma simples mania, é uma doença que faz com que seus portadores tenham compulsões, sejam físicas ou mentais que tem o intuito de aliviar a ansiedade e incômodos causados por coisas desagradáveis que acontecem na mente dos pacientes.

O psiquiatra Daniel Costa, do Projeto Transtornos do Espectro Obsessivo Compulsivo (PROTOC) explica que: “O pensamento ruim vem, gera incomodo, e então o portador sente a necessidade de realizar algum tipo de comportamento, uma compulsão, um ritual, para se livrar dele”. Daniel completa: “Acredita-se que 2% da população geral sofra desse mal”.

As altas de incidência do TOC estão presentes nas crianças em período escolar e jovens e adultos na faixa etária de 18 a 20 anos. Um dos principais pontos para o tratamento do TOC é a disseminação de informações que as vezes não compreendem que seu próprio cérebro é capaz de torná-las escravas.

Costa dá alguns exemplos sobre o conteúdo dessas obsessões que são conhecidas também como “pensamentos intrusivos”, “Obsessões de agressão, como o medo de alguém querido morra, receio de ter um impulso violento, de se ferir por não ser cuidadoso o suficiente”.

Portadores de TOC tem algumas fixações excessivas como obsessões religiosas, sexuais, como temor de ter cometido incesto, de ser homossexual ou cometer algum pecado contra as ordens divinas, e a compulsão acaba sendo uma saída, é o que diz Costa. “Pode ser tanto comportamento observável como um ritual mental”. A pessoa verifica se a porta está trancada, repeti rezas, faz contagens desnecessárias, dá pulos, alinha objetos e organiza roupas, e tudo é um ritual e tudo é uma obsessão.

Portadores de TOC costumam evitar situações que forçam a realizar seu ritual, o que Costa chama de “fenômeno de esquiva” que ele explica: “Isso é pouco estudado. A pessoa começa a evitar situações relacionadas a obsessão dela justamente para evitar os rituais que precisaria realizar”. O isolamento e a paralisação costuma ser consequências. “O TOC é uma das condições mais incapacitantes existentes. A gente acha que não só os comportamentos aparentes dela contribuem para esse comprometimento funcional mas fenômenos como o da esquiva também são responsáveis” completa Costa.

O tratamento inclui duas linhas de ação, o medicamento acompanhado por psiquiatras e a psicoterapia. Esses remédios também são utilizados para tratar a ansiedade, já que ela possui uma ligação ao transtorno. “O tratamento do TOC é feito com alguns antidepressivos, os inibidores seletivos da recaptura de serotonina”, diz o psiquiatra.

As causas da doença ainda são desconhecidas, porém possui evolução crônica, onde se pode controlar por um determinado tempo, mas podem votar em um determinado tempo. “Fatores genéticos estão implicados, isso não há dúvida. Parentes de primeiro grau com pessoas que possuem o transtorno são mais propensos em tê-lo. Não existe um gene específico”, explica Costa.

 

Veja também: Novo estudo explica TOC em cachorros

 

Cientistas acreditam que Déjà-vu pode ser um bom sinal

Resultado de imagem para Déjà-vu pode ser um bom sinal

Todos já tivemos uma sensação de já ter passado em algum lugar, ou ter lido uma notícia e acha que ela é repetida. Havia teorias e hipóteses de explicação para esses momentos estranhos em que temos certeza de já terem sido vividos anteriormente.

A Universidade de St. Andrews, no Reino Unido reuniu um grupo de cientistas que publicaram no Quarterly Journal of Experimental Psychology uma explicação para um Déjà-vu e concluíram que acontece quando nosso cérebro verifica as memórias e busca uma específica, tropeçando em uma incoerência, que não é necessariamente uma criação de uma falsa memória, segundo a atual explicação até agora.

O estudo do fenômeno não é uma coisa fácil, afinal ele é rápido e imprevisível. Sua análise é feita em laboratório onde é utilizado um método de induções criativas realizadas em uma máquina de ressonância magnética. Os cientistas conseguem avaliar as atividades cerebrais com eficacia.

A região responsável pelas memórias o hipocampo não teve uma atividade muito animada, já as áreas frontais associadas a tomadas de decisões ficaram bem ativas, o que mostra que o cérebro estava a procura de seu próprio arquivo. Até o momento se acreditava que o Déjà-vu ocorria quando uma memória recente era enviada ao córtex, sem passar pelo hipocampo, ou seja, ele ia direto para o arquivo de memórias a longo prazo dando a impressão de já ter vivido aquele momento.

Outra curiosidade sobre o transtorno é que pessoas que tem Déjà-vu persistentes te cumprimentam como se já te conhecessem mesmo sem nunca ter te visto antes. O neuropsicólogo Chris Moulin conta que “Houve uma vez na qual ele foi ao cabeleireiro e ao entrar teve a sensação de Déjà-vu e depois teve um Déjà-vu do Déjà-vu. Ele não conseguia pensar em mais nada”.

A análise foi feita em três etapas que foram realizadas com 21 voluntários. Eles foram apresentados a uma série de palavras, como arroz, feijão, macarrão, bolacha, porém a palavra essencial desse conjunto é a comida que foi deixada de fora. Na segunda parte, os psicólogos perguntaram aos voluntários se havia alguma palavra das que foram citadas que começava com a letra “c”, e a resposta foi negativa. Na última etapa, a pergunta foi direta, sele eles ouviram a palavra “comida”. Claramente os voluntários não lembravam de terem ouvidos essa palavra, porém tinham a intuição de terem ouvido o “c” em algum lugar, sendo assim implantada a falsa memória. O cérebro vasculhou a própria memória procurando a palavra “comida” e encontrou uma semelhança no que aconteceu, com o que poderia ter acontecido.

 

Veja também: A desesperadora história de um jovem que vive em um eterno Déjà-vu”

 

Por que algumas pessoas sentem dores nas mãos ao usar aparelhos eletrônicos?

Dores? formigamentos na mão? dormência no antebraço? Nos dedos? Se você reconheceu algum destes sintomas, principalmente durante a noite, é bem provável que você esteja acometido pela síndrome do túnel de carpo. Mas, e aí? Você já ouviu falar?

Recentemente, o site terra publicou que o uso prolongado smartphones pode também ser um dos fatores que pode provocar tal doença. Isto chama a atenção para um mundo moderno que cada vez mais requer a presença de aparelhos eletrônicos ao alcance de pessoas dependentes do mesmo para a rotina de sua profissão ou mesmo ainda para uma grande massa de adolescentes sedentos por novidades tecnológicas e comunicação instantânea na rede mundial.

O fato é que a síndrome do túnel de carpo vem tomando proporções consideráveis nos últimos tempos.

Entenda a doença

O túnel de carpo é uma passagem bem estreita encontrada no punho do mesmo lado da palma da mão, formado por ossos e ligamentos. Ele ainda protege o nervo mediano, muito importante para mão e os tendões responsáveis pelos movimentos dos dedos.

Quando este nervo sofre algum tipo de compressão, então surgem a fraqueza e dor na mão, acompanhada de formigamentos que podem se estender para o antebraço, gerando também dormências.

Como surge

Qualquer pressão sobre o nervo mediano pode influenciar os sinais nervosos e interferir no tato e movimento das mãos. Entretanto, não se sabe o que pode causar tal esmagamento, apesar de se saber que alguns fatores podem aumentar as chances de se desenvolver a síndrome do túnel de carpo. Tais fatores incluem lesões no pulso, gravidez, histórico familiar ou algumas condições de saúde como artrite reumatóide, diabetes hipoatividade da tireóide e algumas atividades como trabalhar com ferramentas vibratórias, tocar um instrumento musical ou qualquer atividade envolvendo trabalho manual.

Embora menos frequente , a doença também pode surgir em pessoas que possuem uma estrutura anormal do punho, como por exemplo, um conjunto de cistos ou inchacos nos tendões ou em vasos sanguíneos no túnel do carpo.

Tratamento

Dependendo da gravidade da doença, o médico indicará o melhor tratamento, que pode durar alguns meses.

É importante, evitar a prática de atividades como o uso de teclado de computador, por exemplo, o que pode retardar o alívio das dores provocadas durante o período da doença.

Alguns casos exigem procedimento cirúrgico e, por outro lado, outros são resolvidos de formas diferentes como talas de pulso, corticosteróides, acupuntura ou alguns tratamentos farmacológicos.

 

Estudo recente diz que atividade física ajuda a prevenir Alzheimer

 

Que os exercícios físicos melhoram a qualidade de vida das pessoas está mais que comprovado. Mas um estudo recente também encontrou benefícios ao cérebro e na prevenção de doenças como Alzheimer.

Coragem para sair de casa, aquecer, alongar e correr, não é pra qualquer um. Assim como não foi fácil para Adriana abandonar o sedentarismo, praticar exercícios físicos costuma ser algo difícil para quem leva uma vida sedentária. No entanto, a recompensa de Adriana por fazer esse esforço foi equivalente a 25 quilos a menos e em benefícios para a mente.

“A depressão foi embora de uma forma que eu nem percebi. Sem contar a ansiedade que também não sinto mais. Já o ânimo melhorou em 100% em comparação ao estado que eu estava antes dos exercícios. Isso tudo sem remédio ou tratamento terapêutico”, disse a cabeleireira, Adriana Ivone Crivellaro.

O risco de desenvolver doenças relacionadas ao sistema nervoso como depressão, Alzheimer, e Parkinson, cai com a prática de atividade física regular. Isso acontece porque ao exercitar o corpo, algumas reações também são provocadas no cérebro. Entre elas, a melhora no fluxo sanguíneo e de oxigênio, e o estímulo na produção de substâncias benéficas.

“O cérebro funciona como uma orquestra, onde você tem várias redes, ou vários músicos tocando ao mesmo tempo. Mas no meio disso tudo você tem o maestro, que comanda todos os instrumentos. Com o cérebro é a mesma coisa, e com o exercício físico você consegue melhorar a função desse maestro. O exercício faz com que as áreas do cérebro funcionem melhor”, disse o neurologista do HC, Fábio Porto.

Em sua tese de doutorado, Fábio Porto concluiu que a área do cérebro chamada de precuneus, teve um aumento significativo da atividade metabólica em pacientes idosos que fizeram caminhadas duas vezes na semana por seis meses. E assim diminuíram a chance de desenvolver doenças como o Alzheimer, o tipo de demência mais comum na terceira idade.

Manter-se ativo desde sempre, pode trazer resultados ainda melhores do que das pessoas que começaram a praticar exercícios físicos na idade avançada. “Se você faz atividades físicas, mantém uma dieta equilibrada, dorme bem, tem atividade intelectual, controla fatores de risco cardiovasculares (pressão alta, diabetes e colesterol), não tem maus hábitos como fumar, você terá um acumulo de conexões neurais que irão contribuir na sua terceira idade”, disse Fábio.

Segundo o especialista, para garantir uma vida plena e saudável até mesmo na velhice, é importante se cuidar em todos os sentidos, partindo primeiramente da alimentação mais saudável. Segundo alguns estudos recentes, a mudança de pequenos hábitos na alimentação como trocar o cardápio carnívoro por legumes e verduras, faz com que a pessoa viva mais tempo. Se for associado a prática de exercícios físicos, os benefícios serão ainda melhores em qualquer idade.